ACOMPANHEMOS A VIDA DA FAMÍLIA AZUL NO MUNDO

irmãs e sua missão

Na Alegria pascal, canto com vocês um Aleluia vibrante

Sr Sidonie 04
Sr Sidonie 04

Avec la Vie consacrée en Afrique

press to zoom
sidonie01b
sidonie01b

Oeuvrant pour la Paix

press to zoom
sidonie 02
sidonie 02

Vie difficile des migrants à la frontière du Peru

press to zoom
Sr Sidonie 04
Sr Sidonie 04

Avec la Vie consacrée en Afrique

press to zoom
1/3

Queridas Irmãs e Família Carismática,

 

Há um ano, acolhestes como corpo, com alegria, confiança e fé, a escolha do Papa Francisco sobre a minha pessoa através da nomeação de Consultor da CIVCSVA. Um ano depois, gostaria de agradecer sinceramente seu apoio, seu acompanhamento e sua solidariedade. No começo, fiquei confuso e me perguntei se isso era verdade, mas nos meses seguintes não precisei me fazer mais perguntas.

Agradeço à Congregação que me permitiu ter irmãs colaboradoras em vários continentes. Regularmente, eles realizam esta missão em oração. Alguns me dão notícias sobre a vida consagrada em sua região. Somados a outros colaboradores, eles me ajudam a ter horizontes mais amplos e a me abrir para o universal. Obrigado a Cecilia Bentacourt, Marluce, Elvia, Laure Deymier, Carme Boxadera e Anne Béatrice Faye. A Congregação também me permitiu tomar um banho de língua para aprender italiano. Também reforço inglês e espanhol.

As reuniões feitas ao nível da CIVCSVA e a grande reunião de consultores que havíamos encorajado e acalmado. Senti-me filha da Igreja, acolhida e escutada. A carga não é tão pesada quanto de vez em quando e cada consultor pode continuar a missão que lhe foi confiada no seu instituto ou na Igreja sem estar sobrecarregado. Os perfis dos consultores são variados: bispos, alguns leigos, consagrados com várias experiências e habilidades, profissionais, superiores gerais, uma freira...

Como teólogo, a nomeação também me tornou mais conhecido, respondo a vários pedidos intercontinentais de acordo com minha disponibilidade. Enfim, que bela experiência da Igreja! De vez em quando, realizo conferências, reuniões, acompanho equipas de animação, capítulos, pessoas também… no final, recebo mais do que dou. Esses encontros virtuais ou presenciais são extremamente ricos e formativos e me dão a oportunidade de viver plenamente o Quarto Voto no encontro com pessoas concretas ou vários grupos.

Mas no dia-a-dia, é graças à formidável comunidade formativa com a qual vivo que a missão confiada adquire um novo impulso. Somos duas irmãs, Irmã Irène Ekye Kaka e eu, duas postulantes e duas aspirantes. Alegria e paz, o investimento no crescimento dos jovens é para mim um serviço concreto da vida religiosa CIC, assim como a disponibilidade para o serviço de formação na Província, REPA e Igreja.

Ao lado dessa bela comunidade que formamos, somos responsáveis pela comunidade educativa do Complexo Escolar Madre Jean Gabriel, que conta com 1.434 jovens e 125 funcionários. Uma bela sinergia onde leigos e cinco institutos de vida consagrada interagem a serviço da educação de crianças e jovens, segundo o carisma de Santa Emília. Animar, acompanhar, treinar e supervisionar caminhando juntos, essa é a nossa visão inspirada no Projeto Educativo da Congregação (PEC) e na prática de Emilie.

Como Maria Madalena oprimida pelo chamado do Ressuscitado, sinto-me chamada pelo meu nome e, o Ressuscitado, em cada Eucaristia vem a mim de modo particular para renovar o seu amor e a sua confiança. Também me sinto uma missionária da ressurreição, uma serva frágil, amada por Deus e inundada de sua misericórdia.

Deus nos encha Aleluia!, bendito seja o seu nome, bendito vós também pelo que sois e pelo que fazeis para o avanço do Reino de Deus e para a Igreja em progresso sinodal.

Santa Emília cuida de nós com incrível solicitude materna! Reze novamente por mim, eu também carrego você em meu coração e em minhas orações.

Mais uma vez, Feliz Páscoa!

 

Fraternalmente,

Marie Sidonie, cic

testemunho de
irmã Sidonie oyembo um ano após receber sua missão no Vaticano

abril de 2022

Soeur-2_edited.jpg

Sœur Joaninha vit ce moment douloureux avec les Migrants en Amazonie 

Irm%C3%A3%20Joaninha%20CIC_edited
Irm%C3%A3%20Joaninha%20CIC_edited

Soeur Joaninha avec les migrants à la frontière du Perou Joaninha Honório Madeira, missionária da Rede Itknersnte da Repam (Foto: Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real)

press to zoom
09 pont joaninha
09 pont joaninha

Sem perspectivas de emprego, imigrantes iniciam movimento de retorno e enfrentam dificuldades na fronteira com o Peru. A imagem acima é de autoria de Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real.

press to zoom
policia amazonas
policia amazonas

Difficultés rencontrées pendant 27 jours.

press to zoom
Irm%C3%A3%20Joaninha%20CIC_edited
Irm%C3%A3%20Joaninha%20CIC_edited

Soeur Joaninha avec les migrants à la frontière du Perou Joaninha Honório Madeira, missionária da Rede Itknersnte da Repam (Foto: Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real)

press to zoom
1/9

"Ce que nous vivons ici, vraiment, est une chose cruelle. Cela atteint le cœur de l'humanité. Les gens sont traités comme des objets, comme des déchets, et ici, au Pérou, c'est la première fois que nous le voyons. C'est vraiment une chose cruelle. L'expression vient de la missionnaire Joaninha Honório Madeira, de l'ordre de l'Immaculée Conception. Connue sous le nom de Sœur Joaninha, elle fait partie du réseau ecclésial panamazonien, dont le travail consiste à offrir une assistance sociale et religieuse aux résidents des communautés urbaines, riveraines et indigènes de la triple frontière.

 
Aux côtés d'autres dirigeants catholiques, elle s'est trouvée en première ligne face aux boucliers et aux bombes lancés par la police péruvienne. "La police a été extrêmement violente.  Avant, nous avions seulement entendu dire qu'ellel était violente, mais hier (16 février), nous l'avons vu. On a failli être battus aussi. Le premier groupe [d'immigrants qui ont franchi le blocus] a été traité très violemment. Trois femmes enceintes se sont retrouvées au centre de santé", dit-elle.

 

Pour la missionnaire catholique, les immigrants haïtiens et africains souffrent également du racisme. Selon Sœur Joaninha, les immigrants de pays comme le Venezuela, la Colombie et Cuba parviennent à passer d'un côté de la frontière à l'autre. "Nous sommes témoins de racisme ici à la frontière. Des personnes de différents pays y passent. Venezuela, Cuba, Brésil. Chili, Argentine. Tout le monde passe. Maintenant, quand il s'agit d'un Haïtien ou d'un Africain, la situation est différente et ils finissent par tomber entre les mains d'exploiteurs", rapporte-t-elle.

 

La missionnaire rappelle que les personnes de toute autre nationalité paient 5 reais ou soles (monnaie péruvienne) pour traverser la rivière Acre. En revanche, les Haïtiens et les Africains doivent payer 50 dollars, plus 200 dollars pour se rendre à Puerto Maldonado. Pour un trajet moyen, les camionnettes reliant Iñapari à la capitale de Madre de Dios coûtent 40 soles - l'équivalent de 15 dollars. Du côté brésilien, les immigrants sont également victimes d'extorsion de la part des chauffeurs de taxi. Pour le court trajet entre l'entrée d'Assis Brasil et le pont binational, on peut payer jusqu'à 100 réals pour un trajet de moins de huit kilomètres. 

  

"Il s'agit d'une exploitation. La frontière est devenue un moyen de tirer profit de la souffrance humaine. Nous cherchons où nous pouvons dénoncer cela. Avec la fermeture de la frontière, le fleuve est devenu la solution pour traverser. Les Haïtiens sont exploités à cause de la couleur de leur peau. Nous le voyons de nos propres yeux", déclare la missionnaire Joaninha. 

(Article Amazonia Real)

témoignage de

soeur joaninha honório Madeira, missionnaire du réseau itinérant de la Repam en amazonie

février - mars 2021

08 pont.JPG

Voir d'autres photos

 

 

Le reportage d'Amazônia Real suivait le drame des immigrants qui tentaient de quitter le Brésil.

"J'ai beaucoup appris pendant ces 23 jours de présence gratuite auprès de mes frères et sœurs, Africains, Haïtiens, Congolais, de la Côte d'Ivoire, du Bangladesh, du Pakistan, de l'Inde...
Merci de me permettre de vivre l'Évangile de l'accueil : "J'étais un étranger et vous m'avez accueilli dans votre ville. 

Joaninha Honório Madeira cic

Equipe missionnaire Itinérante de l'Amazonie.

Marie Sidonie OYEMBO

roma 03
roma 03

Describe your image

press to zoom
roma 02
roma 02

Describe your image

press to zoom
image 10
image 10

Describe your image

press to zoom
roma 03
roma 03

Describe your image

press to zoom
1/12
image004.png
Irmã Marie Sidonie nomeada pelo Papa Francisco

A Congregação está feliz em saber que no dia 20 de fevereiro, o Papa Francisco nomeou a Ir. Marie Sidonie Oyembo como "Consultora da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica".

Ver carta da Equipe Geral

Decreto do Papa Francisco  19 de fevereiro de 2020

Sr_edited.jpg

Em que consiste a missão de consultor da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e da Sociedade de Vida Apostólica?

 

O Concílio Vaticano II promoveu na Igreja a visão de uma Igreja, povo de Deus, uma Igreja “mistério de comunhão”, na qual todos os baptizados participam segundo as suas responsabilidades específicas na missão única de Cristo.

O Concílio permitiu, assim, desenvolver a aplicação de dois princípios eclesiológicos fundamentais: a sinodalidade e a corresponsabilidade.

Por Sinodalidade entendemos a comunhão de fé e dos fiéis. A palavra "sínodo" significa "caminhar juntos" - leigos, pastores, bispo de Roma - porque São João Crisóstomo já dizia: "Igreja significa sínodo". [1]

Uma Igreja sinodal vive ouvindo juntos o Espírito, para conhecer, compreender e realizar o que Deus deseja para a Igreja e para o mundo de hoje. A corresponsabilidade é, portanto, uma consequência concreta da sinodalidade.

A missão consultiva é compreendida a partir da visão e da experiência concreta da Igreja como comunhão, povo de Deus. Além disso, a Santa Sé confia a cada Dicastério uma parte da responsabilidade pela missão única de Cristo.

Ser consultor da CIVCSVA significa partilhar, de forma particular, a missão única que lhe foi confiada pela Santa Sé, ao serviço da Igreja e da humanidade, com Institutos de vida consagrada, Institutos seculares, Sociedades. De Vida Apostólica, formas individuais de consagração a Deus (Virgem consagrada, eremita, viúvas), Associações de fiéis leigos com vistas à sua elevação a Instituto de Vida Consagrada, outras formas de associações, uniões de Institutos, Conferências, Confederações relativas às várias formas de vida consagrada .

Para ser consultor, o Santo Padre, após ter recolhido as informações necessárias e feito um sério discernimento, nomeia o cristão escolhido que pode ser leigo, religioso, clérigo [2] e a publicação é feita pelo Secretário de Estado. Um consultor possui a preparação, experiência e conhecimentos necessários no campo que lhe foi confiado. Ele será convidado a dar a sua contribuição em questões importantes relacionadas com a missão do Dicastério.

Agradecemos à Santa Sé pela confiança depositada em nosso pobre e em nossa Congregação. Imploramos a todas as pessoas consagradas a abundância do Espírito Santo, para que juntos e na Igreja possamos perseverar na vida consagrada de discípulos, servos humildes e servas, que acolhem dia após dia a graça da fidelidade de Deus.

Irmã Marie Sidonie OYEMBO, cic

 

[1] [1] Em 17 de outubro de 2015, Francisco proferiu um discurso de encerramento das comemorações do 50º aniversário da instituição do Sínodo dos Bispos, perante todos os participantes do Sínodo para a Família, São João Crisóstomo, Explicatio em ps 149: PG 55, 493.

[2] Alguns são superiores maiores de institutos, outros de bispos, teólogos ...

Breve Apresentação Biográfica da Irmã Marie Sidonie OYEMBO

 

Origem e formação

Oyembo Sidonie nasceu em 5 de maio de 1968 em Port-Gentil (Gabão), filho de Samuel OYEMBO e Jeanne Nicole NGUELE. Ela é a terceira criança em uma família de cinco. Batizada em Saint - Dominique de Moanda em Haut - Ogooué, receberá a Primeira Comunhão na Paróquia de Saint - Paul des Bois em Port - Gentil e a Confirmação na Paróquia de Saint - Louis de Port - Gentil.

Fez seus estudos primários nas escolas católicas Saint - Paul e Sainte Thérèse de Port - Gentil, em seguida, seus estudos secundários no College Lycée Raponda Walker de Port - Gentil e no Instituto Imaculada Conceição de Libreville.

Ela fez seus estudos superiores e universitários nas Faculdades Católicas de Kinshasa, onde obteve a Graduação em Filosofia (2015) e iniciou seus estudos teológicos lá, na Universidade de Burgundy, na França, onde se graduou com um Mestrado em Ciências Sociais. E Educação. (2009), em seguida, na AS Thomas d'Aquin University em Urbe - DOMUNI um Mestre em Teologia (2018). Atualmente está preparando sua tese de doutorado em Teologia da Eucaristia.

Além da formação acadêmica, ela se beneficiou de vários treinamentos para acompanhamento humano e espiritual no IFHIM no Canadá (Summer Sessions 2004) em Mater Christi em Burkina Faso (2006), na RDC e no Gabão. Ela é membro da CAPACITAR INTERNATIONAL.

 

Vida religiosa e missão

Sidonie voltou ao postulado das Irmãs da Imaculada Conceição de Castres na Casa Mãe em 4 de setembro de 1988. Ao entrar no noviciado, adotou o nome de Irmã Marie Sidonie. Depois de dois anos de noviciado no mesmo lugar, emitiu a profissão no dia 11 de agosto de 1991. Emitiu os votos perpétuos no dia 8 de setembro de 1996 em Port - Gentil (Gabão).

Ela assumiu as seguintes missões: Pastoral Paroquial (catequese, juventude, liturgia, CEVB, Justiça e Paz), Pastoral Social (Mulheres), missão ad extra na RDC, Pastoral Escolar (Professora de Filosofia, Religião e Administração Escolar, Conselheira de educação, Diretor, Chefe do Liceu, Fundador do Centro Nacional de Animação Religiosa que se tornou Capelania Nacional da Educação Católica), Formação (Professor de Teologia no Seminário Maior, Formador em vida religiosa, conferências, seminários, cursos de teologia, sessões e retiros), Animação de vida consagrada (membros de várias comissões da sua congregação (espiritualidade, constituições, formação), líder da comunidade local, Superiora Provincial, Presidente da Conferência dos Superiores Maiores do Gabão (COSMAG), Presidente da Confederação das Conferências das Superiores Maiores da África e Madagascar (COSMAM), Coordenadora da Comissão de Vida Consagrada (COSMAG - CEG) Irmã Mari sidonie é autor de vários livros e artigos sobre história, vida religiosa, educação ...

Hoje, ela ainda se entrega na educação, formação e acompanhamento da vida consagrada. Ela acaba de ser nomeada pelo Papa Francisco, consultor da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, em 19 de janeiro de 2021.

 
bande bm maison mere modele 2.jpg

IRMÃS DA IMACULADA CONCEIÇÃO DE CASTRES

MAISON GENERALE

Via Vincenzo Viara de Ricci, 24

00168 ROMA  Tél. +39 06 305 1863

WEBMASTER

5 rue du Louvre  06500  MENTON

+33 6 62 89 69 39

ecusson esp bleu petit++ tranparent.png

Merci ! 

Accompagne- nous  dans Instagram  @ciccastres

Ne manquez jamais rien