top of page

orar    meditar    refletir

29 novem
icone01.JPG

novena da imaculada conceição  2022

neuve fr.JPG

rezemos juntos Maria,
o imaculado,
com a novena da congregação  de 29 de novembro a 8 de dezembro de 2022

1º dia, 29 de novembro

image004_edited.jpg

CONTEMPLAMOS COM MARIA IMACULADA

 "A DANÇA CRIADORA E CRIATIVA DE "DEUS SÓ". TRINDADE, AO REDOR DO FOGO..." nOS LANÇA AO RISCO DE SONHAR, CRIAR, DESENHAR E MOLDAR    JUNTAS/OS EM RECIPROCIDADE.

Hoje, ao começarmos a rezar a novena à Imaculada Conceição, fazemos parte deste encontro de almas e corações que decidem celebrar e sentir em comum-União. Cada uma/um a seu ritmo, com suas maneiras e meios, mas unidas/os pelo mesmo Carisma.

Todas/os somos chamadas/os a deixar que nossos Horizontes nos inspirem, se tornem voz e nutram o Encontro.

Como Irmãs e Leigos, nos animamos a olhar sinodalmente nossa caminhada rumo ao 44º Capítulo Geral; e AO REDOR DO FOGO como a Grande Comunidade Azul a caminho que somos para celebrar a Imaculada Conceição, queremos continuar escolhendo o discernir e o agir, o abraçar as diversidades, o sustentar as esperanças e os sonhos de tantas/os, encorajá-las/os, continuar comovendo-nos.

Este horizonte inspirador "trinitário" está ligado à experiência vivida por Maria na Visitação, no Magnificat e de Emilie em suas conversas com seu pai.

No ventre de Maria Imaculada, a Trindade nos abraça, nos torna uma/um em sua natureza, se torna dança divina de três pessoas que se amam, que se acolhem tão plenamente que cada uma se torna "uma" com as outras. Ela nos oferece em seu mistério um modelo de comunhão social para a comunidade Azul, para o mundo.

Ela nos chama a criar comunidades que respondam a esta dança doadora de vida e geradora de amor, de modo que possamos dizer: "a Trindade é a melhor Comunidade".


(Sugerimos esta canção em espanhol ou você pode escolher a apropriada em seu idioma:

https://www.youtube.com/watch?v=Acl43Ht_cxw)

Convidamo-nos neste primeiro dia a peregrinar com Maria Imaculada e Nossa Boa Madre a Hauterive e a imaginar uma confidência dela junto à Mesa de pedra.

 

"Esta mesa de pedra! É um símbolo para mim.

Conhece meus segredos e minhas buscas, meus sonhos, meus projetos...

 

           Desde muito pequena eu adorava sentar-me nela; era a nossa mesa de jogos e discussões. Anos mais tarde, já adolescente, eu me sentava para ler e sonhar... para mim é a mesa das minhas interrogações, das minhas dúvidas, dos meus sonhos, de vislumbrar possibilidades, dos meus temores e inseguranças diante de diferentes caminhos para o futuro.

          Chegou um momento em que me encontrei, no meio da escuridão e da luz, vivendo com as irmãs vicentinas, que tinham uma comunidade em Castres. Tomar tal decisão era um assunto sério. Percebi que precisava compartilhar minhas buscas e minhas dúvidas. A Virgem de Hauterive me ajudou a ver cada dia mais claro qual era meu caminho, minha escolha para ser eu mesma e experimentar a alegria de estar em meu lugar, mas também precisei que outras e outros se sentassem comigo à mesa.

            Falei longamente de meus projetos com minha amiga e confidente Coraly, consultei um amigo padre e uma tarde encontrei papai lendo no jardim, sentado à minha mesa... Tomei coragem e lhe contei meu segredo: "Papai, eu quero ser Irmã da Caridade, quero servir os pobres". O diálogo foi difícil, ele não me compreendeu e sua proposta foi de consultar a opinião de outras pessoas, entre elas minha tia e meus irmãos Leontine e Ludovico...

            Somente meu coração e minha mesa de pedra sabem como me custou aceitar a proposta que me fizeram: esperar quatro anos... mais uma vez, a Virgem sustentou meu ânimo (...)

            Esse tempo de espera me ajudou a fortalecer minha escolha em meio a questionamentos e dificuldades, a perceber a importância da ajuda de outros em momentos-chave de escolhas e decisões.

            Um amigo de minha família, ao saber da minha decisão, me apresentou a possibilidade de um projeto diferente: criar algo novo, fundar uma comunidade para cuidar especialmente das meninas, as jovens de Castres que precisavam de acompanhamento, ajuda, apoio... mais uma vez os questionamentos, as dúvidas, discernir qual era o meu caminho. Não é fácil tomar decisões sérias, concretizar um projeto.... Finalmente, fui vendo com mais clareza, meu coração foi se acalmando e concretizei meu sonho. Ao longo dos anos, eu me encontrei diante de muitas encruzilhadas e minha mesa de pedra foi o ícone que acompanhou minhas buscas. "

(Adaptação de: Emilia Calvo do texto de Coraly de Gaïx em "Minha Emilie")

 

A Palavra também nos acompanha e ilumina (Lucas 14:13-17).

 

"Ao contrário, quando der um banquete, convide os pobres, os aleijados, os coxos e os cegos. Abençoado seja você se eles não puderem lhe pagar. Você receberá sua recompensa quando os justos ressuscitarem. Um dos convidados que estava sentado à mesa com Jesus exclamou: "Que bênção será participar de um banquete no Reino de Deus"! Jesus respondeu com a seguinte história: "Um homem preparou um grande banquete e enviou muitos convites. Quando o banquete estava pronto, ele enviou seu criado para dizer aos convidados: 'Venham, o banquete está pronto' ....

 

Fazemos um momento de silêncio, deixando ressoar no coração o que ouvimos:

 

Estamos sentadas/os junto à mesa, ao redor do fogo...

Sentimos/Pensamos: a COMENSABILIDADE - comer juntas/os. Ajuda-nos a pensar na raiz do que este convite significa; (con) significa compartilhar, e (mensa), mesa. Compartilhar a mesa. Na Palavra descobrimos e reconhecemos que é Deus quem prepara a mesa para nós, uma mesa inclusiva, cheia de histórias, festas, celebrações, projetos e sonhos. Ali percebemos seu coração misericordioso e compartilhamos o Pão da Vida.

 

Continuamos compartilhando o que vimos refletindo na mesa "da Palavra" e ao redor do fogo.

  • Como preparamos nossa mesa para compartilhar com outras/os?

  • A quem convidamos para compartilhar em nossa "mesa" diária?

  • O que permitimos que aconteça ao redor de nossa mesa?

  • Que novos sonhos, horizontes, vamos percebendo à mesa e ao redor do fogo?

 

Vamos tomando consciência de cada uma de nossas perguntas, temores, desafios...

 

Por isso, dizemos neste primeiro dia da Novena:

                              Todas/os juntas/os, renovamos o desejo do encontro.

 

A "mesa de pedra" nos acompanha novamente, como anúncio de uma comunidade sinodal que avança, que é capaz de fazer memória, rever-se, reconsiderar-se, projetar-se e celebrar o que foi vivido. Mesa de Encontros, de conversas transformadoras", onde cada uma/um escutará sua própria voz e a voz de muitos outros que livremente acrescentarão olhares, pontos de vista...; constituindo-se parte dela e deixando sua marca.

Todos nós juntos, no grande baile da vida

 

Ao redor do fogo, queremos continuar reunindo-nos ao calor de uma mesa servida, ao calor da festa de Maria Imaculada, do próximo Capítulo.

Este calor sustenta o ânimo no caminho, dá a possibilidade de continuar as conversas comunitárias, de revitalizar nossa vida e estreitar laços que nos tornem mais irmãs e irmãos, tomando decisões ousadas e corajosas.

Como comunidades, somos parte da "dança" e do caminho de Deus.

Caminhemos juntas/os!


E digamos a nossa Mãe:

Maria Imaculada, nova mulher de olhar limpo

Ao iniciar esta novena, estamos reunidas/os e te pedimos

que te juntes à roda do encontro junto à mesa e ao redor do fogo

 

Acompanha-nos a sonhar e projetar Juntas/os.

 

Ensina-nos a superar temores e individualismos.

 

(Cada pessoa pode expressar, seus pedidos

e agradecimentos a Maria Imaculada)

 

Sentimos um apelo: Coragem, temos muito por fazer! 

E juntas/os nos animamos a nos colocarmos a caminho. Amém

2º dia – 30 de novembro

image009_edited.jpg

"A mística dos olhos abertos nos revela o sonho de Deus, a Oikós (casa comum), e nos permite contemplar "Deus em todas as coisas e todas as coisas em Deus".

Acolhida :

 

Bem-vindas/os a este momento de graça. Ao chegar aqui, tu és convidada/o a abrir bem os olhos e olhar cuidadosamente para tudo o que puder ver, tanto os grandes quanto os menores detalhes.

Introdução:

Hoje iniciamos nosso segundo dia de novena em preparação à Solenidade da Imaculada Conceição e ao 186º aniversário da fundação das Irmãs Azuis. Baseando-nos nos Evangelhos e nos Horizontes Inspiradores de 2018, meditamos sobre o tema: "a mística dos olhos abertos nos revela o sonho de Deus, a Oikós (casa comum), e nos permite contemplar "Deus em todas as coisas e todas as coisas em Deus". Invoquemos o Espírito Santo para que Ele abra nossos olhos interiores.

Canto ao Espírito Santo: à escolha

 

Reflexão sobre o tema

 

A mística dos Olhos Abertos estabelece uma nova ordem de relação de fé que implica uma abertura em dois movimentos, o externo e o interno.

  • Para ver, é preciso primeiro decidir abrir fisicamente os olhos, e estes precisam ser saudáveis para reproduzir uma visão o mais próximo possível da realidade.

  • Para ver interiormente, é preciso ajustar-se ao olhar de Deus, ação que se torna possível pelo sopro do Espírito. Ter o olhar de Deus sobre si mesma/o, sobre a criação, sobre toda criatura, sobre mim. Este olhar divino que fecunda o meu olhar me abre para uma nova relação que torna Deus transparente, ou, como dizia Santa Emilie, um olhar que vê e faz ver Deus Só em tudo.

  • Neste mundo tão rico, diversificado, cheio de oportunidades de vida, mas também cheio de sombras e morte. Neste mundo onde uma minoria - a COP27 - decide o futuro de todos, precisamos abrir nossos olhos físicos e interiores para ver Deus que está aí e que nos chama a sair para nos juntarmos a Ele. É habitados por sua presença que este mundo, o nosso, é chamado a se transformar nele.

 

A mística dos olhos abertos é um caminho sinodal porque ela promove a escuta e a abertura. Ela cria laços novos, relações mais humanas e fraternas onde Deus se reconhece a si mesmo.

 

Palavra de Deus: Cântico dos três jovens (Hino do universo), Livro de Daniel 3,49 – 90.

 

Convidamos cada pessoa, grupo ou comunidade que lerá ou proclamará esta Palavra de Deus a olhar física e interiormente a mística dos olhos abertos contida neste hino da Bíblia. Mesmo no coração da fornalha, Deus está com seu povo e o salva.

 

Tempo de Interiorização

Em companhia de Maria Imaculada e de Santa Emilie, eu olho interiormente minha vida, minha comunidade, meu entorno próximo e distante. Eu olho para a aldeia global e deixo o Espírito Santo mover minhas entranhas e me colocar em saída missionária.

Tempo de partilha

 

Cada pessoa compartilha o que viu externa e internamente. O que a moveu suas entranhas e a fez sair como Maria na anunciação, na visitação, em Caná, ao pé da cruz, na manhã da ressurreição.

 

Conclusão

 

A "Oikos" ou casa comum, este mundo que Deus criou e nos ofereceu, não pode viver e florescer sem Ele. A mística dos olhos abertos nos convida, como Maria Imaculada e Santa Emilie, a encontrá-lo onde Ele já está presente, especialmente nos pobres, nos pequenos; lá onde em nossas próprias vidas também há fraturas, fragilidades... Abramos os olhos, Deus nos precede ali.

 

Canto final mimado pelos alunos de CSMJG/ Libreville

Ref : Mbolo wé, mbolo wé, mbolo Maria Mbolo wé (Oi, Maria em língua gabonesa)

1. Te saudamos, Maria, te bendizemos, Maria

2. Te aclamamos Maria, te louvamos Maria